Logística

O que é redespacho e como ele ocorre nas operações logísticas?

Facebook
LinkedIn
Twitter
WhatsApp

Num país de dimensões continentais como o Brasil, realizar a entrega de produtos não é tarefa fácil. Nem sempre uma mesma distribuidora vai atender todas as regiões envolvidas no processo, e é aí que entra o processo de redespacho. Ele ocorre, habitualmente, em situações onde o vendedor está em uma região e o comprador em outra, ou ainda em rotas muito diferentes, em que mais de um distribuidor acaba sendo acionado.

Se você não conhece ou quer se aprofundar na rotina e detalhes do redespacho na logística, continue acompanhando este post! Veja os impactos e as vantagens desse processo, além de como ter controle sobre a distribuição, mantendo a satisfação do consumidor.

Contextualizando: o que é o redespacho

No setor de logística, a eficiência e a pontualidade são essenciais para o sucesso das operações. E o redespacho é uma prática que auxilia nesses indicadores. Essa operação logística consiste na transferência da carga de um transportador para outro durante o trajeto até o destino final. Esse procedimento é comum em situações em que o transporte direto não é viável ou eficiente, seja por questões geográficas, econômicas ou de capacidade operacional.

Por exemplo: se o seu centro de distribuição está em Santa Catarina, mas o seu cliente na região Norte do país, muito provavelmente o redespacho será a solução perfeita para realizar a entrega dentro do prazo. Nesse caso, a transportadora contratada retira a mercadoria e leva até um ponto – seu próprio centro de distribuição, por exemplo. De lá, uma outra transportadora que atende a região Norte recolhe o pedido e finaliza a entrega.

Essa prática garante não só a cobertura de uma extensa região geográfica, mas também permite a redução de custo e tempo no processo logístico.

Tipos de redespacho disponíveis no mercado e suas diferenças

Existem diferentes tipos de redespacho que podem ser utilizados de acordo com as necessidades específicas da operação logística. Entre os principais tipos, destacam-se:

Redespacho simples: nesse modelo, a carga é transferida de um transportador para outro sem interrupções significativas. É uma solução direta e rápida para ajustar o percurso da carga e otimizar o tempo de entrega.

Redespacho intermediário: a carga passa por um ponto intermediário antes de seguir para o destino final. É o caso citado no exemplo acima, quando a mercadoria sai de um centro de distribuição para outro. Esse tipo é utilizado quando é necessário dividir a rota em etapas menores, facilitando o manuseio e a distribuição das mercadorias.

Redespacho de consolidação: aqui, diversas cargas menores são reunidas em um ponto de consolidação e então redespachadas juntas para o destino final. É uma boa estratégia para otimizar custos e melhorar a eficiência do transporte.

Redespacho de desconsolidação: neste caso ocorre o processo inverso ao redespacho citado acima. Grandes cargas são divididas em partes menores em um ponto intermediário para facilitar a entrega.

Benefícios de utilizar o redespacho

O redespacho oferece vários benefícios para a sua gestão logística. Entre os principais, podemos destacar:

Otimização de rotas: é possível criar rotas mais eficientes, reduzindo o tempo de trânsito e o consumo de combustível. É uma ótima vantagem no caso de entregas que envolvem grandes distâncias ou áreas com infraestrutura limitada.

Flexibilidade operacional: além de poder ajustar rapidamente o processo de distribuição, o redespacho proporciona a adaptação aos desafios logísticos, maior cobertura operacional e a possibilidade de se driblar imprevistos, como bloqueios de estradas ou condições climáticas adversas.

Redução de custos: ao consolidar cargas e otimizar o uso de recursos, o redespacho traz significativas economias para as empresas, com custos de fretes mais adequados e maior agilidade de entrega.

Pontos de atenção para contratar redespacho

Embora o redespacho traga inúmeros benefícios, é essencial considerar alguns pontos antes de contratar esse serviço. Um deles é a escolha do transportador. Ter um bom histórico do transportador contratado e conhecer a reputação dele é muito importante. Para empresas que usam o DATAFRETE, esse histórico fica registrado na plataforma, facilitando a contratação mais adequada em cada situação de distribuição.

Outro fator importante é manter uma comunicação clara e transparente junto com o distribuidor e, claro, com o cliente. Cada etapa de evolução do frete pode ser informada ao consumidor, dando a ele uma experiência de valor e criando uma transparência no processo.

Monitorar e rastrear as rotas também permite ao embarcador acompanhar cada etapa do redespacho e garantir o cumprimento do SLA de entrega acordado com o cliente. Uma torre de controle automatizada permite ainda o recebimento de alertas de imprevistos em tempo real, o que agiliza o tratamento destas situações, minimizando impactos na entrega final.

Para garantir um redespacho eficiente e com o controle necessário para a sua empresa, a automação das etapas a partir da plataforma da DATAFRETE é um diferencial. Quer saber mais como podemos ajudar a sua empresa neste processo? Entre em contato e saiba mais!

Outros conteúdos

Posts relacionados

plugins premium WordPress